Metrô de SP dá treinamento sobre autismo a seus funcionários
Funcionário do Metrô de SP em treinamento a respeito de autismo.

A Companhia do Metrô de São Paulo (SP) realizou um evento para discutir, de forma ampla e interativa, o autismo com seus funcionários. As palestras aconteceram na semana passada, 17 de julho, no auditório da Unimetro, no Pátio Jabaquara. A iniciativa deu-se após um atendimento aos filhos de Ana Paula Chacur, de Santos (SP), mãe de dois autistas, que estava com os filhos em São Paulo e precisou da ajuda de dois funcionários do Metrô, que atenderam prontamente.

Historicamente engajado com o atendimento adequado às pessoas com deficiência, o Metrô convidou a Chacur & Chacur (empresa de eventos de Ana Paula) para realizar um evento com palestrantes para explicar as questões sobre o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e sugerir maneiras de atender pessoas com esse tipo de transtorno, que estima-se atingir mais de 120 mil paulistanos — segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) (veja nossa reportagem “Quantos autistas há no Brasil?“, de março/2019).

Especialistas

Entre os convidados, destacou-se a psicóloga Meca Andrade, especialista no tratamento de autismo. Meca elogiou a disposição do Metrô para estudar e entender a demanda desse tipo de público, buscando sua inclusão e visando melhorar sua acessibilidade no sistema. Segundo ela, “o autismo é uma deficiência pouco aparente, difícil de ser percebida”. Por isso, ela recomendou aos funcionários do Metrô, acreditar sempre quando for solicitado por um passageiro. “Melhor errar pelo excesso de zelo do que pela falta dele”, afirmou.

A abertura das palestras técnicas foi feira pelo médico neurologista e psiquiatra Wanderley Domingues que deu um panorama geral sobre o TEA, suas causas, características, necessidades, abordagens, entre outras. A terapeuta ocupacional Marília Bernal, que também palestrou, falou sobre integração sensorial. Segundo ela “o simples fato de andar de metrô pode ser um desafio imensurável para um autista, levando em consideração o ambiente, os sons, a falta de privacidade etc. Por isso a importância de estar atento e preparado para atender esse passageiro” disse.

O Workshop, que foi aberto pelo gerente de operações do Metrô, Antônio Márcio, contou com a presença de aproximadamente 150 funcionários, especialmente da operação do Metrô, os quais saíram satisfeitos com as informações transmitidas.

A mãe Ana Paula Chacur fez o encerramento, falando de treinamentos como o que estava acontecendo e seu trabalho voluntários junto à busca por políticas públicas para autistas.

A Revista Autismo enviou vários exemplares da edição número 5 para ser distribuída aos participantes.